El Baqueano - Buenos Aires

Havíamos reservado o jantar em um outro restaurante, mas quando comentamos via twitter com @bronza e @danirosan, eles nos disseram que gostaram muito mais do restaurante El Baqueano que visitaram na companhia do @Luiz_Horta (que aliás, escreveu uma ótima reportagem sobre esta casa no Paladar da semana passada).
Imediatamente alteramos as reservas.
A sommelière Gabriela Lafuente nos recebeu e explicou como funcionava o menu degustação da casa. Escolhemos o curso mais longo, de 7 passos.

Começamos com um tipo de entrada à base de Arveja (ervilhas em quatro texturas) - espuma, creme, crocante e sautées

Carpaccio de llama, brotes de rucula, espuma de queso y gelificado de alcaparras - ao contrário do que imaginávamos, esta carne tem sabor delicado

Collita de yacaré, risotto de calabaza, crocante de queso y espuma de maíz - um prato de sabores delicados

Vizcacha tíbia escabechada y mix de champignones - (um tipo de coelho) carne rosada, tenra e cogumelos com sabor tostado

Langostino de Pto Madryn grillado con pan crujiente de langostino - muito fresco, saboroso (sem desperdiçar o sabor intenso que se concentra dentro da cabeça deste crustáceo) e escoltado por uma espuma do mar que realmente trazia a lembrança da maresia

Guisado de ñandú en sus jugos y graten de papa - o guisado de ema estava delicado e macio

um sorbet de naranja para limpar o paladar

Mini degustatión de quesos con contrastes - além de ótimos queijos, o mais interessante foi o conhecimento sobre sabor e textura dos mesmos ao montar o contraste com os variados doces. Um dos doces, em especial, nos instigou: yaracatia (não temos certeza quanto à grafia), feito da casca de uma árvore de mesmo nome, típico da província de Misiones, tinha uma textura de diferente e sabor de cedro baunilhado (foi contrastado com um queso Parmesano)

Pastel de ricota, espuma de crema inglesa y helado de romero - o recheio quente e cremoso em contraste com o ótimo sorvete de alecrim

O chef Fernando Rivarola elabora uma cozinha com carnes autóctones e precisão técnica (conciliando as técnicas da gastronomia clássica com as contemporâneas). Ingredientes normalmente associados à pratos argentinos rústicos são apresentados de forma leve e delicada com conceito e sabores bastante autênticos.
O jantar foi acompanhado por uma garrafa de 25/5 Cabernet Franc da bodega Del Desierto 2005. Esta vinícola é localizada em La Pampa, ao norte de Néuquen, uma região mais fria e úmida que Mendoza. Vinho potente, mas sem a extrema concentração de alguns Malbecs de Mendoza ou Salta. Um pouco atípico, mas acompanhou bem a noite.


Serviço de salão atencioso.

Faixa de preço: $$$$ (por pessoa)

Um dia realmente feliz (e ligeiramente calórico) em Buenos Aires.

Postado por Marcel Miwa e Nina Moori.

Comentários

Bronza disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Bronza disse…
Preferia não ter lido este ótimo relato do restaurante onde fiz minha melhor refeição em Buenos Aires.

Afinal, além do lagostino, agora fiquei com desejo do guisado de ñandú e do pastel de ricota.

Abraços,
Bronza
P.S.: estranhei vocês não terem pedido o ótimo Malbec orgânico da Familia Cecchin.
Gourmandise disse…
É. Ficamos sem o "ótimo Malbec orgânico da Familia Cecchin", mas comemos langostino. e ñandú. e pastel de ricota!

bjo,
N.
Bronza disse…
Que maldade, Nina... :-)
Bjs

Postagens mais visitadas