Pão com quinoa, alecrim e amêndoa (e o chão da cozinha) com fermento natural

Num desses dias, lá estava a Nina olhando para o forno, observando mais um pão que assava. De repende, escuta vários estalos. Não compreende de onde vêm.
Até que sente o chão subir debaixo de seus pés. Imagina, por um segundo, que era um terremoto - mas sabe que seria absurdo imaginar um apartamento em São Paulo sofrer um impacto tão forte decorrente de terremoto.

Agora é engraçado lembrar. Mas na hora não foi nada engraçado.
Os azulejos em torno do forno levantaram cerca de 2cm. E eu estava em cima. Levantei junto.
O pior, é que na hora, fiquei preocupada com o pão que estava assando! Imaginei: caramba, vai estragar o meu pão.
Eu já havia escutado sobre azulejos da parede e chão de cozinhas antigas descolarem ou levantarem. Mas não com tanta força.
Quando contei ao Marcel, ele não acreditou.
Depois questionou a razão. Sugeriu o duto do gás encanado. Mas este passa pela parede e não pelo chão.
Provavelmente foi uma soma de razões: o frio intenso lá fora, o forno ligado no alto e o rejunte/cimento envelhecidos com o passar dos anos.

Ah, o pão saiu ótimo do forno!


Pão com quinoa, alecrim e amêndoa (fermentação natural):
(um pão de meio quilo - 100% = 187g)
22% do John (rye starter)
22% de água
22% de farinha (50% de trigo e 50% de centeio)
13,3% de farinha de quinoa
100% de farinha de trigo
33,4% de farinha de trigo integral
85,5% de água filtrada
8% de suco de maçã (pode usar laranja natural)
1% de sal marinho
Poolish: misture os três primeiros ingredientes. Cubra com filme e deixe descansar por 8-12 horas em temperatura ambiente.
Peneire os secos juntos. Adicione o poolish e o suco de maçã. Acrescente a água, aos poucos. Trabalhe a massa até obter um composto liso e elástico.
Coloque em bowl untado, cubra e deixe crescer por 2h. Trabalhe a massa e volte ao bowl coberto. Gele por uma noite.
Abra a massa com cuidado em superfície levemente untada com azeite. Espalhe azeite (1tbsp) com as mãos sobre a massa, 40 amêndoas, 2tbsp de alecrim seco e enrole como um rocambole.
Disponha sobre placa untada e deixe crescer. Dê cortes com bisturi (de pão) e asse à 220ºC.


Dúvida sobre os pesos e medidas dos ingredientes? Clique aqui.

Postado por Nina Moori.

Comentários

Anônimo disse…
O forno de vocês deve ser muito bom. Não consigo assar pão com casca grossa.
bjo,
Camila.
Anônimo disse…
Um dia seguei e em casa e vi aquele monte de azuleijos no chão. Praticamente uma parede inteira da cozinha descolou.

bjo,
Mirela.
Gourmandise disse…
O forno que uso é bem simples. De uma marca comum. O fermento natural contribui muito para a formação da crosta mais grossa.

Virou até piada o episódio do chão da cozinha...rsrs

bjo,
N.
Anônimo disse…
Seus textos estão cada vez melhores.

bjo
Flavia Pantoja disse…
Aconteceu exatamente a mesma coisa na fazenda da minha mãe, cujo piso é de azulejo hidraulico. Eu estava a 1 metro do chão quando o chão começou a levantar!! Eu quase enfartei! Mas enfim, dramas a parte, o mais importante é que o teu pão saiu intacto!! :)

Postagens mais visitadas