O Sujinho não é mais o mesmo

Quando era criança, meus pais me levavam para comer no Centro de São Paulo. Sempre nas casas tradicionais. O Sujinho, também conhecido como Bisteca de Ouro, era um deles.
O local era super simples, com aqueles azulejos e piso velhos. Mas carregava a aura de ser uma casa que servia boa carne, com preço bacana.
Adorava quando a Bisteca bovina chegava à mesa, com aquele osso imenso. Me sentia na terra dos Flintstones (filé de brontossauro).
Há cerca de dois anos e meio que não visitava o Sujinho.
O Couvert ainda é composto por fatias de pão francês, manteiga, cebola em vinagre (quase uma cebolete) e saladinha de repolho (agora cortado em tirinhas mais finas).
Pedimos a tradicional Bisteca bovina, uma Alcatra e uma Farofa. Só. Pouca coisa para errar.
A Alcatra veio bem passada. Foi pedida ao ponto (gosto da mal passada, mas minha mãe prefere assim). Textura estranha, parecia ter passado por algum tipo de agente amaciante, quase esfarelava na boca.
A Bisteca chegou à mesa e pensei: "eu cresci ou o tamanho dela diminuiu?". Bom, em dois anos e meio acho meio difícil ter crescido. O sabor também não era mais o mesmo. E o ponto de cocção novamente não foi respeitado.
A Farofa? Tudo bem, não vamos exigir que fosse perfeita. Afinal, parece que não estamos dando sorte com as guarnições ...

Saudosismo.

Postado por Nina Moori.

Comentários

Anônimo disse…
Nossa, vocês acabaram com o lugar. Sou do interior de São Paulo e ainda não conheço esta famosa casa. E pelo jeito acho que vou passar longe.
Anônimo disse…
Não entendo vocês, vivem postando sobre resturantes elegantes/caros e postam sobre o Sujinho?

Rodrigo.
Gourmandise disse…
Anônimo, escrevi apenas sobre a minha opinião como cliente.

Rodrigo, apreciamos a boa mesa. Independente de onde ela esteja.

abs,
N.M.
Débora Pusebon disse…
olá nina!! muito legal o seu blog! gostaria de convidá-la a visitar o meu: www.semglutensemlactose.blogspot.com
ainda é novo, mas é uma proposta diferente, de oferecer dicas e receitas para pessoas que ñ podem ingerir leite e gluten e derivados.
obrigada e parabéns pelo blog!
De Cordeiro disse…
aquele sujinho da consolação?
Gourmandise disse…
De Cordeiro, este mesmo. Me deixou desolada...
bjo,
N.M.
Sylvia disse…
A ultima vez que estive lá , também me decepcionei
espressa-mente! disse…
esta crise de confiança ja assola as cozinhas dos restaurantes. Tambem ja chegou aqui no rio...as primeiras vitimas sao as porções e guarniçoes! rs..
Bruno disse…
Fui ao Sujinho para almoçar no dia do meu Niver, fui pela fama. Porém, apesar da cerveja hiper gelada e atendimento decente, saí decepcionado de certa forma: O garçon serviu o couvert mas não informou se o mesmo é cobrado ( e no final foi), acho que não precisa disso, até pq servem cebola e repolho marinado no tempero e azeite (nada de mais). Pedi um pintado grelhado que acompanha arroz a grega e molho tátaro e pedi tbm uma porção de legumes na manteiga. Para começar, havia um fio de cabelo enrolado em uma das folhas do brócolis, os legumes estavam cozidos além do ponto e sem sabor (com certeza legumes cozidos em água, no vapor eles não perdem sabor); o arroz parecia de 2a. ou usaram as sobras do dia anterior, sem graça demais e um pouco gorduroso (nesse arroz a grega os legumes tbm muito cozidos e ervilhas de lata, horríveis. Em SP encontra-se a ervilha fresca que além da ter cor viva o sabor é maravilhoso. Do pintado apenas 4 pedaços e com gosto de churrasco, nada de gosto de peixe. Almoço de cardápio simples, com valor de R$84,00 para duas pessoas. Não recomendo e não volto.
Gourmandise disse…
Pois é Bruno, a sua visita à casa só confirma que ser um clássico não garante qualidade.

abs,
N.M.
Bruno disse…
Olá Nina, parabéns pelo excelente blog, sou leitor assíduo.

Então, infelizmente tem dessas coisas: muitos fazem a fama e esquecem da qualidade e dos detalhes.
Fazer o simples hj em dia não é para qquer. um!!!

Bjusssss e sucesso sempre.

Bruno.
Leon Gustavo disse…
Migos, é a 1a. vez que venho à este blog. Gostei, devo dizer.... Sou um cozinheiro entusiasta e amante da boa comida, baixa e alta gastronomia. Parabéns pelo blog...!
Porém devo dizer também que discordo das opiniões neste post, sobre o Sujinho... O tamanho da tradicional bisteca é "padrão" (de 700 a 710 grs) há mais de 80 anos... Raramente os caras erram o ponto pedido pelo cliente. Quanto à textura da alcatra, não sei... Creio que você teve um "mau dia" lá... Não é algo que acontece com frequencia...! Palavra de um assiduo frequentador. =D
De toda forma, como disse, gostei do blog e seguirei acompanhando
grande abraço
L>K
Gourmandise disse…
Oi Leon,

Pode ser realmente que naquele dia não tivemos sorte. Parece que atraímos estas situações. Mas fiquei desolada com os pratos. Imaginava cortar a carne e notar aquela mioglobina não coagulada escorrendo pelo prato...

abs,
N.
Rena disse…
Adorei seu blog!!
Amo comida de viagem e principalmente tentar recria-las na volta pra casa pra espantar o saudosismo do lugar!! ;-))
Seguirei acompanhando,

Bjos,

Re do Blog Sem Escalas

Ps.: estive no Sujinho uma unica vez, ha uns 4 anos atras e ainda era bom, pois mesmo sem saber q era tradicional me surpreendeu pelo paladar e atendimento. Uma pena nao tenham conseguido um padrao.
luiz lima disse…
No início da minha carreira profissional fui participar de um treinamento de uma semana em São Paulo.
Alguém comentou sobre a deliciosa Bisteca de Ouro. A noite fui experimentar a tal gloriosa.
Já que minha empresa não fez restrição e eu, mineiro caipira, vamos de cara de bisteca completa, sugestão do simpático garçom. Quando ele retornou colocou tanta coisa na mesa, que assustei, menos a BISTECA. Em seguida trouxe a esperada ao ponto! Meu Deus que maravilha, nunca tinha visto algo tão apetitoso! Leva isso tudo, deixa apenas a MINHA BISTECA, a polenta frita, o agrião e o ovo cozido, pedi ao garçom.
Senhor não é ovo cozido é mussarela de búfala. Parti o "ovo" e realmente não havia gema. Ok, mais um motivo para deixa-lo.
Nunca havia comido carne mais saborosa que aquelas bistecas de todas as noites daquela semana! Isso mesmo fui todas as noites na Bisteca de Ouro!
Até hoje não encontrei igual... até já sonhei com elas!
Mais recentemente retornei, e infelizmente, confirmo as triste palavras da Nina/Gourmandise.
Silvia - BH disse…
Nina, não havia visto este post. Fomos talvez em 2013, num ida de muita fome a noite. A fome fez parecer bom e a porção foi farta, não lembro o que comemos.É vizinho de onde fico quando vou a SP - tb sou mineira. Achamos razoável, alguma coisa estava boa, a fome muita mas no conjunto não nos deu vontade de ir sempre. Registramos apenas como uma opção em caso de necessidade. Passamos a comer apenas o hambúrguer, até que, pelo fato da casa ficar lotada no fim de semana, nunca mais voltamos ao Sujinho (duas casa unidas, mesmo nome, mas diferentes, a hamburgueria e na esquina o Bisteca de Ouro). Ah, me lembro, passamos também para pizza do Miccheluccio até que um dia pedi uma de escarola. O gosto da margarina estava tão forte - porque não refogaram no azeite? Desisti também desta. Preferi levar para casa muitas delicias da padaria italiana Franciulli.

Postagens mais visitadas