Um grande jantar II - parte 1

Novamente, O. ofereceu em sua casa, um jantar para confraternização de final de ano.
Nesta primeira parte, falaremos dos vinhos da grande noite.
Conseguimos chegar a tempo de sorver uma última gotinha do Opus One 2003! Apesar do volume reduzido, conseguimos notar belos taninos, aromas muito potentes e acidez equilibrada. Vinho de estilo mais elegante que "bombástico".


O Berceo Crianza infelizmente estava bouchonné.


Edizione 07, safra 2005, do produtor Farnese: o grande peso da garrafa já servia como prenúncio de um grande vinho. É um corte de montepulciano, sangiovese, primitivo, negroamaro e malvasia nera. O resultado final é um vinho que lembra muito o Douro, com aromas mais evidentes de violeta e cacau amargo. Excelente conjunto com taninos muito finos, bom corpo e estilo potente.



Solus Ad 1998, Barbera D'Asti: um vinho que evoluiu muito bem com o tempo, aromas bem integrados de frutas vermelhas frescas e madeira (resina). Conforme poderia se imaginar, o destaque é a acidez muito bem equilibrada, que o torna muito versátil e eficiente na harmonização com comida.



Para finalizar, o Porto Niepoort Colheita 1980: colheita é um tipo de Porto que equivale, em estilo, a um Tawny, porém de uma safra definida. Deve envelhecer no mímino 7 anos em madeira, e é muito importante observar a data de engarrafamento, pois é melhor consumí-lo em data não muito distante desta data de engarrafamento.



Postado por Marcel Miwa.

Comentários

Flor de Sal disse…
No mês passado fui visitar umas caves de Vinho do Porto, pois tenho a MUITA sorte de viver muito perto do Porto, onde estão sediadas a maior parte das caves portuguêsas de vinho do porto!
Acho ke você ia gostar da visita ... e das provas ... !!!
Unknown disse…
Flor de sal, com certeza! Uma visita a Portugal teria que ser longa, uma vez que queremos conhecer muitos locais.

bjo,
Nina.
espressa-mente! disse…
este OPUS é um californiano divino. Uns dos melhores vinhos que provei (evite a safra 2001).
as vezes, é encontrado no dufyfree do rio/sp.
para voces que gostam dos vinhos almaviva, o Mouton Rothschild é uma parceria entre os produtores do opus+almaviva.
Unknown disse…
Carioca,
concordo com sua opinião a respeito do vinho, e, só equacionando:
Opus One = Mouton Rothschild + Mondavi e,
Almaviva = Mouton Rothschild + Concha y Toro.
Abs,
Marcel
cupido disse…
Ando com uma grande vontade de provar esse Opus One, deve ser fantástico...
Unknown disse…
Cupido, apesar da pequena quantidade, realmente trata-se de um vinho fantástico. Tbm estou com gde vontade de prová-lo novamente.

abs,
Marcel.

Postagens mais visitadas