Confeitaria não é apenas chocolate

Ando um pouco cansada, saturada de tantos chocolates que me rodeiam.
Fiquei um pouco desapontada quando afirmaram certa vez que 80% da confeitaria era à base de chocolate. Observando o crescimento do número de Chocolateries (algumas boas, já outras...) creio que os consumidores ainda desejam isso. Mas eu não gostaria que fosse assim.

Preciso de mais. Desejo mais.

É fato que a ideia, o sabor, a textura e o status (todo aquele valor agregado) do chocolate agradam com mais facilidade. Veja bem, não estou afirmando que trabalhar com chocolate é fácil. Considero uma verdadeira arte saber trabalhar corretamente com o chocolate. O que observo aqui é a quantidade de doces hoje possuir tanto chocolate na formulação.

Onde estão as frutas? Por que as oleaginosas (principalmente a castanha do Brasil e o Baru) são tão mal exploradas? Cadê os sabores puros?
Olho ao meu redor e só encontro creme de chocolate, sorvete de chocolate, torta de chocolate, mousse de chocolate, calda de chocolate, biscoito de chocolate, explosão de chocolate, trilogia de chocolate...

Quando olho uma vitrine de doces, constato que quase tudo leva este derivado de cacau. E todo o resto da vida doce? Sinto falta da criatividade.

Ainda tenho a esperança que um dia os meus alunos enxerguem isso. Desejo que eles abram as suas mentes. Gostaria que um dia, meus alunos e ex-alunos ampliassem os seus horizontes, dessem valor às frutas tropicais (e principalmente as brasileiras), diminuíssem a finalização com sorvete, cortassem o excesso de açúcar, eliminassem o excesso de chocolate em seus doces e extinguissem os flavorizantes de baixa qualidade. Pode ser um sonho. Pode ser purismo. Mas pode ser realidade.

Lembro que na minha infância, meus pais e outras pessoas da mesma idade e descendência tinham o costume de presentear com uma caixa de frutas da estação. Uns quatro anos atrás, vi um descendente de japonês presentear a amiga que "aniversariava" com uma caixa de mangostim. Sorri secretamente. Hoje, tornou-se comum presentear com chocolate. Ainda existem as frutas, mas também os bolos caseiros, pães caseiros, biscoitos (sem chocolate), queijos, etc.

Hoje, o chocolate faz parte da minha alimentação, mas não deixarei que a domine. Um pouco é bom. O excesso entorpece a minha sensibilidade.
Não sei sobre o meu amanhã, só sei que agora preciso menos de chocolate que ontem.

Postado por Nina Moori.

Comentários

lunalestrie disse…
Você tem toda razão, Nina. No entanto acho que tem um pouco a ver com o fato de as coisas feitas com frutas não durarem muito e acabarem não sendo muito viáveis para as confeitarias. No meu curso minha professora fez questão da gente usar pouco ou nada de chocolate nos doces que criávamos, mas ela comentava que o mercado é diferente. Lendo o teu texto lembrei de um restaurante que fui e que não havia nada de chocolate no menu de sobremesas. Achei legal, diferente, mas pra minha decepção a chef era péssima nos doces: vamos fazer diferente, mas bem feito, não é mesmo? Beijinho! :D
Caio disse…
Recado anotado, não te levarei nem te oferecerei chocolate hj durante a aula. ( provavelmente irei, mais por provocação do q por educação!)
Luciana Betenson disse…
Nina, concordo em número, gênero e grau. Eu não sou fã de chocolate, só como quando é muito, muito bom mesmo. Adoro doces de frutas, são os meus prediletos. Mas aqui em casa eles só comem doces com chocolate, é uma frustração... :-(
Este fim de semana fiz bolo de chocolate e madeleines de especiarias. O bolo acabou no dia, as madeleines, muito mais gostosas, estão lá! Sempre presenteio com bolinhos e biscoitos,sem chocolate :-)
Christiane Ferr disse…
Esse foi o melhor e mais verdadeiro post que li nos últimos tempos. Infelizmente vejo que muitas vezes,somos OBRIGADOS a ceder ao gosto (duvidoso) dos clientes.É raro quando escolhem um produto meu que não tenha algo de chocolate. E tristemente, nunca houve um pedido do cardápio de frutas.
Raquel Silvino disse…
Tenho que admitir que gosto de chocolates, mas prefiro sorvete de frutas, bolos de frutas,sobremesas com frutas, mas infelizmente as pessoas em geral preferem chocolate, umas por acharem o chocolate mais "fino" e outras por acharem mais caro. Não gosto de bolos de chocolate ou com chocolate, para mim nada que um bolo de cenoura(sem cobertura de chocolate) ou um sorvete de baunilha ou coco.
Olá Nina, acabo de conhecer seu blog e gostei muito desse texto. Com certeza experimentar outros sabores ajuda a aguçar o palavadar.
Gosto de fazer muitos doces e sempre acabo fugindo do chocolate (embora seja simplesmente ótimo). Sou autodidata e gostaria de saber se você poderia me dar alguma dica de livro, curso, etc para ajudar minha 'formação'. Obrigada, Ale
Gourmandise disse…
Olá Alessandra, gosto muito dos livros Larousse Gastronomique (que considero a "grande Bíblia da gastronomia) e Professional Chef da Cia.
E para entender um pouco a razão de determinadas técnicas e uso de ingredientes ler sobre história é indispensável - sugiro a História da Alimentação (Jean-Louis Flandrin), a Fisiologia do Gosto (Brillat-Savarin) e a História da Alimentação no Brasil (Câmara Cascudo).

att,
N.

Postagens mais visitadas