"Shaken, not stirred."


Dry Martini é o meu drink favorito. Na verdade, não gosto muito de novas versões de bebidas clássicas: um toque de licor de amarula, suco de abacaxi com compota de amora, pasta de açai na vodka, leite condensado com frutas exóticas...faça o clássico bem e agrade a todos.
Uma dose de um bom gin (por exemplo Tanqueray dry ou Gordons dry) e um toque de vermouth seco (de preferência Noilly Prat). Algumas pessoas gostam com mais vermouth outras preferem um toque e tem até que prefira que seja espiritual (colocam a garrafa de vermouth ao lado do gin por alguns minutos - não riam, porque isto funciona!). Em São Paulo, muitos bares não possuem um bom serviço de drinks, são os hotéis e uma minoria que sabe produzir uma boa bebida, seja montada, batida, mexida, etc (ou por falta de bons produtos ou até despreparo dos funcionários). Acho que estou ficando velha e chata.

Postado por Nina Moori.

Comentários

Agdah disse…
Chiquérrimo!!
Duly disse…
Oi Nina sabe que nunca provei um Dry Martini tenho curiosidade,qualquer dia vou provar.
Sheila disse…
Juro que tento gostar disso, mas não consigo, rsrs. Acho forte demais =)
Flor de Sal disse…
ADORO!
E concordo: Dry Martini é Dry Martini puro, original, sem invenções....
Meninas, o Dry Martini é o tipo de bebida que não agrada a todos...quem não gosta de gin ou azeitona, por exemplo.
Cinara disse…
Nina, você acredita que só "descobri" o Dry Martini recentemente? E adorei! Depois da Margarita, hoje é meu drinque favorito. Já me serviram um com uma cereja em vez de azeitona, e achei muito bom... Bjs!
Cinara,
Atualmente estou gostando de apreciar o gin, ontem experimentei o Gin fizz (gin, suco de limão e água com gás - o barman finalizou com clara levemente batida por cima num copo de long drink) e achei bem refrescante. bjo, Nina.

Postagens mais visitadas