É iogurte?

Uma matéria publicada no jornal chileno El Mercurio tratava da análise da composição das principais marcas de iogurtes disponíveis no mercado local. O estudo foi promovido pela Organización de Consumidores de Chile (Odecu) e concluiu que nenhuma das nove amostras analisadas poderiam ser vendidas como iogurte pois não apresentaram traços das bactérias Lactobacillus bulgaricus ou Streptococus termophilus. Essas bactérias são as responsáveis pela transformação da lactose em ácido láctico, reação esta que define a produção de iogurtes.
É importante notar que o efeito não é apenas uma questão de nomenclaturas. Pessoas com intolerância/alergia à lactose podem consumir iogurte (o verdadeiro) e as amostras analisadas trariam riscos à saúde deste grupo de pessoas.
Essa pesquisa foi contestada pelos fabricantes que questionaram as condições de transporte e armazenagem dos produtos (que não deve ter sido muito diferente do mecanismo de compra e consumo do consumidor comum).
E o que será que se passa por aqui, no Brasil?

Postado por Marcel Miwa e Nina Moori.

Comentários

Bergamo disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Bergamo disse…
Nina e Marcel,
Sempre seremos grandes idiotas frente aos interesses das grandes empresas, não? Pela busca insaciável por dinheiro; o respeito, a ética e suas implicações com a saúde deixam de existir como num passe de mágica. E isso se repete na área farmacêutica. Apenas tenho uma curiosidade: os diretores, presidentes, grandes acionistas conhecem o produto que vendem? Será que o consomem? Como não conheço ninguém que ocupe essas posições continuarei na ignorância.
Abraços,
Bergamo
espressa-mente! disse…
Eu gosto muito de iogurte! Ao ponto de ter uma iogurteira em casa! dá ate para fazer cream cheese. Uso um bom leite e fermento. Fora isso, como o requeijão, todos que estão no mercado são de alguma forma batizados, seja com soro, amido de milho!

no blog prato fundo, ensina a fazer iogurte usando garrafa termica!
Nathy2 disse…
Oi Nina, nossa que emoção.
Sou fã do seu blog há tanto tempo! Obrigada pelo comentário. Conheci o umeshu há pouquíssimo tempo graças à Andrea Oinishi do Superziper. Foi amor à primeira vista e agora estou torcendo para que dê certo. Você se lembra como ele era feito?

Tenho intolerância à lactose de grau leve, mas fiquei preocupada pois sou uma consumidora de iogurte - justamente porque para mim o produto era "seguro".
Espero que tenha alguém de olho no mercado brasileiro também.
Gourmandise disse…
Talvez a solução mais saudável para iogurte seria ter uma vaca em casa, num pasto maravilhoso. Mas requer um espaço consideravel e outro estilo de vida. Enquanto a minha criação de gado leiteiro nåo se concretiza, me viro com as raras marcas de leite integral boas no mercado nacional e faço keffir.
Quem sabe algum instituto de defesa do consumidor preste atenção à questão.
Este post foi escrito para quem se preocupa com o que está comendo.

Eu era muito pequena quando via a confecção do Umeshu, infelizmente não me recordo das medidas/ingredientes.

bjos,
N.
Vitor Hugo disse…
Essa foi uma das minhas grandes dúvidas quando comecei a fazer o iogurte em casa.

Não encontrei referência nenhuma de como é a classificação de iogurte/coalhada. O máximo foi: bactérias mesofílicas.

Bom… para saber se é iogurte mesmo teria como: pedir para quem tem intolerância a lactose provar. Não é o melhor modo, mas seria um indicativo.
Anônimo disse…
De acordo com as normas no Brasil, o leite acidulado com aparência talhada é considerado iogurte.
Gourmandise disse…
Vitor,
Apesar de ser um ótimo método, creio que pode causar sérios problemas intestinais a uma pessoa com severa intolerância à lactose.

Anônimo,
Não acredito que estas normas estejam descritas da maneira enxuta que escreveu aqui. O que a Anvisa diz sobre o assunto? Se você estiver certo, então leite batido com limão é iogurte. Reavalie os seus conceitos.

att,
N.
Anônimo disse…
e no Brasil os consumidores continuam sendo enganados. só uma ínfima parte da população sabe o que consome e dentre eles só alguns fazem algo.

Postagens mais visitadas