Tradição ou Contradição

Fim de ano.
Sempre a mesma correria de todos os anos. Fechamento de tarefas no trabalho, montagem dos menus de Natal e Ano Novo, viagens, festas de confraternização, providenciar presentes, organizar os planos para o ano seguinte... e, tudo isso, acompanhado pelo fluxo de carros que só aumenta nas ruas.
Mas não tem escapatória, todos passam pelas mesmas obrigações.
Dias atrás, sentada no carro, no trânsito, observei como a decoração de Natal de São Paulo é piegas. Muito veludo, cetim, algodão e isopor (e sei lá mais o quê) imitando neve, folhagens atípicas do nossa flora, musiquinhas natalinas que disparam ao entrar nas lojas, tudo tão distante da minha realidade.... Quase irreal.
Em casa, abolimos a árvore de Natal. Para economizar tempo (de montagem e desmontagem), pó acumulado e energia elétrica daqueles enfeites que acendem e apagam incessantemente.
O tradicional menu de ceia Natal composto por pernil, lombo, peru, chester, tender (e outros animais que ninguém nunca viu a cabeça) será substituído por uma Salada bacana, um Arroz de polvo e um Flognarde.
A verdade é que não conseguimos fugir de todas as tradições (obrigações?). Não escapei da tradição nipônica de comemorar no almoço do dia 25 - esta data é mais importante que a ceia do dia anterior. Teremos então Ceviche de polvo (é, encontramos um polvo de ótima qualidade), Bacalhau de forno à moda da Nina e Torta de figo fresco.
Tudo simples e enxuto.

Desejamos a todos os leitores do Gourmandise um bom Natal, com ou sem as tradições de cada um.

Este post foi escrito depois que tive a (boba) ideia de colocar um gorro de Papai Noel no Riesling, fotografar e publicar aqui. O Marcel me olhou e disse que eu poderia tentar, mas seria muito difícil. Ele tinha razão. O Riesling é um cachorro que nunca curtiu pet shop, gravatinhas, roupinhas e outras coisinhas. É um cachorro livre dessas tradições.

Postado por Nina Moori.

Comentários

Nessa época temos apenas uma tradição: abrir um champanhe de qualidade nos primeiros minutos do dia 1º. No mais, procuramos experimentar, diversificar.

Que o Natal seja de alegria e paz e um 2010 cheio de conquistas e realizações! :)
O Baco tb não gosta de petshop, mas como ele é peludo, precisa. As gravatas, ele sempre come durante o trajeto na volta pra casa...

Qto à comida estamos tentado mudar bravamente os hábitos de quem veio antes...eles adoram peru, tender e essas coisas que a gente já sabe até o gosto, antes mesmo de tirar do pacote.

Mas o importante é ser feliz!

Um abração pra vcs e um Feliz Natal!

Alexandre
Luciana Betenson disse…
Nina,lindo post. Qualquer que seja a tradição, o que vale é a intenção de comemorar em família esta data tão importante. O Riesling é um fofo!! Beijos e bom Natal para vocês.
Rogério disse…
Nina,
Eu também não me conformo com o cardápio de natal! Acho muito inadequado, nesta época de calor devorar tenders, pernis e rabanadas, apesar de adorar estas comidas.

A falta de criatividade no cardápio também me incomoda. Quando estou a cargo do menu (o que raramente acontece), procuro fazer algo mais leve, mais brasileiro e mais adequado ao calor.

De algumas tradições não dá para fugir e nem quero. Os doces, bolos e pães de natal que as avós faziam, o arroz com amêndoas da minha mãe e o creme de castanhas...destes não abro mão.

Um bom natal e ano novo prá vocês.

beijo
Rogério
Rogério disse…
A propósito, o Riesling tá lindo! É um pastor alsaciano?
Poste mais fotos!
bjo
Rogério
ameixa seca disse…
Aqui a tradição é o bacalhau e o polvo cozido na ceia do dia 24. Almoço de dia 25 é carne assada, normalmente cabrito e perú. Mas o que eu mais gosto é a roupa-velha, feita com as sobras do bacalhau cozido da noite anterior :) Feliz 2010!

Postagens mais visitadas