Miski em Alaska

Enquanto o Marcel comprava o nosso almoço, Uzzi (não a metralhadora e sim o salgado de massa folhada recheada com arroz e carne de carneiro) e Esfiha folhada de carne no Halim (Rua Doutor Rafael de Barros , 56), corri até a sorveteria Alaska (Rua Doutor Rafael de Barros, 70) para tomar uma bola do sorvete de miski (resina de uma árvore típica do Oriente Médio).


Postado por Nina Moori.

Comentários

Anônimo disse…
Vocês não têm vergonha de fotografar em tudo quanto é local?
Gourmandise disse…
Gosto mais dos sorvetes no frio. Não escorrem mão abaixo...rs

Raramente fico acanhada ao sacar a máquina fotográfica da bolsa.
Sabe que japonês adora uma fotografia, né?

bj,
N.
ameixa seca disse…
Desconhecia miski, dá vontade de provar :)
Bergamo disse…
Vc faz bem...fotografe tudo o que ver pela frente. Nada como ter memórias e lembranças.
Eu não sou muito fã de sorvetes, mas o de miski é uma boa experiência. Você conhece a DAMP no Ipiranga?
Bj,
Bergamo
Gourmandise disse…
Acredita que nunca fui a Damp?! A tia do Marcel sempre nos presenteia com sorvetes de lá (cidreira e rosas). Acho que acabei me acomodando com a situação.

bjo,
N.
Eita! Finalmente achei alguém que não tem ascendência árabe e que gosta de miski como eu! Só os iniciados gostam desse sabor do Oriente Médio.
Do Alaska é bom, mas provei um na Alexandria (Egito) que misturava vanila e misteka (no Egito se chama assim, "miski" é sírio-libanês), que foi um dos melhores sorvetes que já provei na vida.
Gourmandise disse…
Quando encontrar miski para vender, vou testar uma versão homemade deste sorvete: baunilha e misteka!
Obrigada pela sugestão.
abs,
N.
Sempre às ordens! Tem no Empório Syrio e na Confeitaria Pagé, na região da 25.
Sabe usar? Transforme num fino pó processando num liquidificador ou processador com 1 colher de açúcar (umas 2-3 pedrinhas). Adicione à mistura fria, caso use base de creme inglês. Se colocar ainda quente, perde aroma e sabor.
Bjs,
Katia

Postagens mais visitadas