Vito

Já voltamos algumas vezes a este restaurante, portanto esta publicação é uma compilação de três refeições (avisando antes que nos chamem de glutões).
A casa é pequena, com cerca de 28 lugares, portanto as reservas são quase obrigatórias. Mas vale a pena.
Mais uma boa opção no mesmo estilo do Tappo Trattoria, menu italiano e conciso com qualidade nos pratos e no serviço.


Entradas: Queijo de cabra com Saba (Saba é uma iguaria da Emilia-Romagna, semelhante a um Balsâmico reduzido, porém sem fermentação ou envelhecimento), Bresaola, Bruschette (feijão branco, tomate com majericão e queijo de cabra), Calamare e Carne cruda (com azeite trufado - tornou-se a entrada preferida da Nina). Todas as entradas estavam bem executadas.





Pratos principais: Involtini de pescada (peixe na cocção perfeita), Pancia de maiale (este prato veio cordialmente divido em duas porções da cozinha), Ravioli de bacallá e Vitelo a milanese (acompanhdo do bom purê de couve flor). Destaque para a Pancia de maiale e para a delicadeza da pasta.




Acompanhamos os pratos com taças de vinhos brancos e tintos do dia.

Sobremesa: Pannacotta - bom sabor, mas com um pouco menos de gelatina, tornaria-se mais delicada.

Faixa de preço: $$$$ (por pessoa).

Postado por Marcel Miwa e Nina Moori.

Comentários

Carlos disse…
Vale lembrar que o Chef que comanda o Vito hoje,trabalhou como sous-chef do Benny Novak(ICI e Tappo) na Tappo Trattoria, talvez por isso a semelhança no estilo das casas.

abraços
Gourmandise disse…
É, acho que rola uma certa rivalidade entre ambos por esta razão.

abs,
N.

Postagens mais visitadas