Weinert e Catena Zapata

Foram duas escolas de vinhos de Mendoza. De um lado Weinert, estilo old school, quase não se acha tanques de aço inoxidável e barricas de carvalho. Dominam a vista tanques de concreto de grande capacidade e tonéis de carvalho francês com capacidade superior a 2000 litros, alguns montados e entalhados por alemães. Os vinhedos não estão localizados nesta propriedade, que pertence ao brasileiro Bernardo Carlos Weinert, natural de Ijuí (RS).



Minha decepção surgiu minutos antes de postar. Ao pesquisar sobre a Bodega descobri que seu proprietário, em virtude de questões relacionadas a sua empresa de transportes, possuía em 2002 uma dívida com o governo federal brasileiro que chegava a 80 milhões de reais (!), sendo tratado como sonegador pelos procuradores da Fazenda Nacional. Em tempos de responsabilidade social, me arrependi de comprar seu vinho.



Do outro lado está Catena Zapata, referência de vinho argentino mundo afora, com seu proprietário, Sr. Nicolás Catena Zapata, eleito o “Homem do Ano” pela revista Decanter. Como muitos já comentaram a arquitetura de inspiração maia impressiona. A limpeza e a organização são impecáveis, porém a visitação segue o estilo “tour”. Escolhe-se pelo tour em inglês ou espanhol e começa a famosa seqüência de: “aqui podemos ver...”, “à direita temos...” e “ à esquerda vemos...”.



Alguns episódios curiosos:
A guia destaca bastante o Brasil como consumidor, sendo o único país a receber a linha dos vinhos direcionada para a Argentina e a linha para exportação, comentando o peso do nosso mercado.
Ao falar da sala de prova dos enólogos, destacou a imensa mesa de madeira no centro da sala, comentando que se tratava de uma folha de um único tronco de madeira brasileira, provavelmente da região Norte (quase reinvidiquei nossa exclusiva legitimidade para destruir a Amazônia).
Chamou-me a atenção uma adega imensa e muito bem organizada que a empresa mantém com vinhos do mundo todo: várias procedências e várias safras. Tudo para comparar com os vinhos produzidos por eles, seja tipicidade, potencial de guarda, evolução... cabeça de empresário de alto nível.




Postado por Marcel Miwa.

Comentários

Claudia disse…
Grande empresário sonegador é o que mais se acha pela aí. Precisamos publicar uma imensa lista suja, aí incluir a do trabalho escravo também, e cobrar decência desses caras. Eles recebem mil incentivos do governo federal e ainda sonegam impostos e não pagam as dívidas do crédito rural.

O Catena é um orgulho argentino mesmo.

C.
espressa-mente! disse…
putz tenho alguns vinhos desta adega vinicola, Weinert!!!

ja a questao da amazonia é + complicada. por aqui temos ja constituido um conceito de reponsabilidade. Porem, a nossa amazonia faz fronteira com paises como peru e bolivia que ja devastaram significativamente seu naco amazonico.
abs!
Anônimo disse…
No hiciste ninguna "pesquisa" sobre Nicolás Catena Zapata? También le encontrarías "algo"...
Brazuca en BA
Gourmandise disse…
Brazuca,
não é dispensável descrever sobre Nicolás Catena?
Você pode encontrar informação no site da bodega e em diversas revistas.

att,
N.

Postagens mais visitadas