quinta-feira, 16 de abril de 2009

Agadir e o Segredo do Grão

Naquela noite pretendíamos jantar em outro restaurante. Mas estava tão cheio, a espera giraria em torno de quarenta minutos. Resolvemos circular pela região e procurar outro lugar.
Escolhemos o marroquino Agadir (Rua Fradique Coutinho, 950 - Pinheiros). Após um longo corredor levemente íngreme decorado com pequenas tagines nas paredes, entramos no escuro salão do restaurante. Sentamos e esperamos ser atendidos.
Esperamos...
O garçon passou sorrindo e disse que já iria nos atender.
Esperamos...
Esperamos...
Esperamos. Lembramos da história do filme O Segredo do Grão: Será que havia acabado o Couscous e alguém teria saído para comprar? Será que o garçon era também o cozinheiro? Por que ninguém nos dava nenhuma explicação?
Esperamos...
Não sei realmente porque não fomos embora, talvez pela combinação do mistério, do toque de desorganização e a simpatia do garçon.
De repende, uma dançarina do ventre entrou ao som da música altíssima. Então tivemos certeza que tudo era baseado no Segredo do Grão!

Resolvemos alcançar o Menu e começar a escolher. Decidimos escolher tudo, bebida, pratos e sobremesa e assim que o garçon passasse por nós, faríamos o nosso pedido. Esperamos a dança do ventre acabar.
Escolhemos o Chá com hortelã (bom com pouco açúcar), Tagine de couscous de cordeiro e legumes (um prato correto, com sabor de cordeiro e não daquela glândula) e Tagine de frango com azeitona e limão em conserva (saboroso - ambos pratos chegaram à mesa em uma Tagine) e Casablanca para a sobremesa (laranja frescas com um pouco de canela e amêndoas e toque de água de flor de laranjeira - uma sobremesa refrescante).





Postado por Nina Moori.