Restaurant Week - parte III

Terceira e última parte da publicação sobre a quarta edição do São Paulo Restaurant Week.

No Casinha de Monet Bistrô pedimos: Tomate de Monet de Rúcula - tomate recheado com rúcula picada, aliche, mussarela ralada, temperadas com mostarda francesa, molho inglês e gratinado com parmesão (um pouco salgado), Tranches de Palmito - palmitos acompanhados de mussarela de búfala, tomates e chifoneds de kani kama (não sei se Tranche seria o melhor nome para este prato - normalmente Tranche refere-se a um dos usos da massa folhada ou a pranchas quentes de pedra ou ferro. O termo chiffonade é usado para folhas, o corte usado foi julienne), Filé ao Brandy - steak de filé mignon, servido com molho brandy, laranjas kinkans carameladas, acompanhado de risoto de figos secos e queijo brie (a carne estava com cocção perfeita, mas o risotto estava morno), Risoto de Bacalhau e Azeitonas (o arroz estava mole, poderiam usar azeitonas de melhor qualidade - daquelas chilenas gordas e suculentas e ainda não consigo assimilar bem esta mistura de peixe e frutos do mar com queijo parmesão), Suflê de goiaba com calda de queijo (receita do Carlota, um dos soufflès chegou perfeito, com aquele chapéu, o outro estava abaloado) e Profiteroles de Pão de Mel (o pão de mel estava gostoso - creio que o pão de mel seja um dos produtos chefs da casa).








No Empório Santa Maria: Caprese Com Bufalina (que harmonizou bem com Esporão branco Private Selection 2007), Quarteto Brusqueta - mortadela italiana Stella, pistache e pesto de Hortelã, presunto Parma com geléia de mostarda,figo e canela, queijo Camembert com manteiga trufada e baby rúcula e bufalina com presunto Royale e molho de tomate clássico (sua explicação era uma explanação - mais sabores que o paladar consegue captar), Pizzoli recheado de abóbora ao molho de manteiga, sálvia e pinolis (a massa estava grossa e faltou tempero no recheio - a sálvia e o pignole harmonizaram muito bem com Bourgogne blanc Domaine Leroy 1997), Um ar parisiense - Clássico filé au poivre vert com mil folhas de batata gratinada (não seria o Filet au poivre com Gratin dauphinois?, bom prato, mas o molho era daquele em pó para cozinha industrial - harmonizado com Quinta do Crasto Vinhas Velhas 2006, um belo vinho), Merengue de morango (harmonizado com Porto Quinta do Crasto LBV 2002) e Manga flambada com vodca (sem o sorvete ficaria melhor). A Enomatic melhorou muito o jantar.









No Odeon degustamos: Moules Marinieres (excelente), Salada Oriental - broto de agrião, bifun com leve toque de curry, lulas vinagrete e mix de pimentos & molho thai (coreto, mas não entusiasmou), Siwa - tajine de paleta de cordeiro lentamente cozida em panela de barro com especiarias e ervas, mini legumes & arroz de gengibre (não retiraram aquela glândula que libera um odor desagradável e a carne estava ressecada e rígida demais - a descrição parecia melhor que o prato), Dona Nena - parfait de frutas vermelhas & Chantili de iogurte e hortelã (uma sobremesa bonita, mas com textura e sabor prejudicados - parfait deve ser servida bem gelada ou congelada, esta estava quase na temperatura ambiente, como uma mousse mais gordurosa) e Seu Saulo - abacaxi grelhado com calda de cardomono & sorvete de canela (poderia ter mais abacaxi e menos sorvete).







Notamos que ainda hoje, muitos restaurantes não conseguem executar um bom serviço com a casa lotada. Alguns pratos bons, outros péssimos. Nenhuma sobremesa memorável. No geral, reinou a irregularidade. Achamos curiosa a terminologia utilizada em vários menus, nomes rebuscados para pratos simples ou o uso de termos da gastronomia utilizados sem critério.
Ainda assim, extremamente válido a iniciativa deste evento. Certamente conhecemos restaurantes que visitaremos mais vezes em virtude do menu e serviço apresentado no Restaurant Week (ou weeks).
Agora faremos uma pausa para perder as calorias ingeridas...

Postado por Marcel Miwa e Nina Moori.

Comentários

Anônimo disse…
O espaço do Odeon abriga hoje o Le Marais?
Não parecem nem um pouco apetitosos os pratos do Casinha de Monet.
O Santa Maria vale pela degustção dos vinhos na Enomatic.

abs
Gourmandise disse…
Sim, o Le Marais fica onde ra o Odeon.
Senti que o imenso menu do Casinha de Monet estava em teste (para sentirem o que fazia sucesso e o que encalhava). Provavelmente deve ter diminuído após estes meses.
Adoro fazer comprinhas no Santa Maria. A Enomatic é quase um parquinho de diversões para que aprecia vinhos.

abs,
N.
Casinha de disse…
A Casinha de Monet elaborou um cardápio novo...com a supervisão do Chef Luis Serra...confiram

Postagens mais visitadas