Ano internacional da batata

2008 foi escolhido pela FAO como o ano internacional da batata (seguindo a sugestão do International Potato Center). O objetivo da ONU é criar a consciência da importância da batata na alimentação e promover a sua produção.
Existe uma previsão de um grande aumento da população mundial dentro de 20 anos, mas como garantir comida para todas estas pessoas? Talvez a batata possa ajudar nesta batalha.
De origem andina (provavelmente sul do Peru e/ou norte da Argentina), este tubérculo foi introduzido na Europa através da Espanha. No começo foi utilizada apenas como planta ornamental (assim como o tomate). O início do seu consumo no Velho Mundo é cheio de controvérsias: Antoine Augustin Parmentier (agrônomo, nutricionista e higienista francês) ficou preso durante a guerra dos Sete Anos sendo alimentado apenas por batatas e, voltando à França (fraco, mas vivo) pesquisou sobre a qualidade nutritiva do tubérculo. Mas dizem também que ele estava transportando a batata sob forte escolta, o que gerou curiosidade do povo (proibido = delicioso). Não sei ao certo qual é a "lenda" verdadeira da introdução da batata na alimentação dos europeus, mas vários pratos à base da Solanum tuberosum recebem o nome de Parmentier devido a esta figura.
No ano passdo, aconteceu um episódio em torno das batatas. Ganhamos duas variedades diferentes deste produtor de batatas para experimentar: Nascente Yapira e Nascente Puã. Ambas possuem o termo "nascente" no nome porque a empresa que as desenvolveu é Nascente.

Batatas in natura: a vermelha é a Nascente Yapira e a branca é a Nascente Puã

Testei em diversas cocções: cozida em imersão, cozida no vapor, frita, rostï, gnocchi e purê.
Em imersão, a "Nascente Puã" absorve mais sabor, mas a "Nascente Yapira" fica mais macia.

Nascente Yapira cozida em imersão (nishime)

Na cocção em vapor, as duas ficaram com boa textura e sabor. Foram armazenadas em geladeira de um dia para o outro e continuaram boas.

Nascente Puã cozida em vapor

Sob fritura (em duas etapas, primeiro cozinhe em óleo e depois frite em óleo bem quente), a Puã fica mais seca e mais dourada e a Yapira fica mais saborosa, macia por dentro e crocante por fora. Na foto: a da direita é a Yapira.

Em forma de rostï, a confeccionada com Yapira ficou com a consistência muito mole (parecia um purê), e a de Puã ficou perfeita, dourada e crocante por fora sem perder a textura por dentro. Nas fotos, a primeira é com a Puã e a segunda é com a Yapira e está recheada com queijo e salame caçador.


Na confecção de gnocchi, produzindo com a Yapira (180g de batata cozida no vapor + 1/2 gema + 30g de farinha de trigo) ficou super macio, saboroso e mais amarelo, e com a Puã(180g de batata cozida no vapor + 1/2 gema + 42g de farinha de trigo), ficou bom, mas a textura era mais pesada, uma vez que necessitou de mais farinha de trigo que a outra. Na foto, o gnocchi à esquerda é confeccionado com a Yapira.

Para purê (com leite integral, manteiga e sal),o produzido com a Yapira ficou mais cremoso e saboroso e o confeccionado com a Puã não ficou com boa textura (não gerou cremosidade e ficou um pouco pegajoso).
A Yapira entrará para o mercado no meio deste ano e a Puã ainda não tem previsão.
Agradeço à família H. pelas batatas!

Dúvida sobre os pesos e medidas dos ingredientes? Clique aqui.

Postado por Nina Moori.

Comentários

Laurinha disse…
Hum, bom saber! Alguma delas lembra a rosa, a asterix? adoro ela para gnocchi...
Anotado!
Beijinhos,
lunalestrie disse…
Eu sei que todo mundo é louco por batatas, mas eu tenho que dizer o óbvio: batata é uma das melhores coisas que existe! Fiquei com vontade de todas estas preparações, deveria ter uma profissão chamada "cobaia de chef", eu abraçaria essa profissão na hora, hehehe. Bj!
Gourmandise disse…
Laurinha, a Yapira lembra na textura, mas o sabor é melhor. Normalmente, faço gnocchi com a asterix tbm, fica mto boa!

Luna, o Marcel é quase isso: um cobaia de cozinheira! rsrs

bjos,
Nina.
fezoca disse…
Nina, eu sou amante das batatas. Prefiro batata que arroz. Gosto de todo jeito, ate simplesmente cozida com um pouco de manteiga. Mas tem que ser batata sem agrotoxicos.. As batatas novas, como com casca! ;-)

Gostaria muito de experimentar essas variedades. hm! :-) Aquelas fritinhas ali, hm-hmm-hmmm!!! :-)

beijo,
laila disse…
ai batatas amo-as1 morro de vontade de conhecer o peru só pra descobrir a infinidades de batatas e milhos...bjos e um incrivel 2008 pra vc e por marcel, nina!
Marizé disse…
Que maravilha, gosto muito de batatas de todas as maneiras menos simplesmente cozidas a não ser que sejam pequeninas, novas e com pele.

Adorei todos os ensaios.

Beijocas
Akemi disse…
Nina, fiquei babando a cada foto! Amo batatas também!
Hummmmmmmmmm, batata! Sou fã número 1!
Boa idéia testar tipos diferentes de batatas.
Gostei muito das duas rostï!
Beijos,
Débora
Elvira disse…
Por mim, podia ser todos os anos! Não passo sem este vegetal tão bom e versátil! :-)

Beijos.
Aline Neme disse…
Nina,

Como pode dois tipos de batatas serem tão diferentes, não é??

A natureza é incrível mesmo!!

Sou alucinada por batatas, mas evito o excesso... vc sabe, carboitrato em excesso para tudo no quadril... hehehehehehe

Bjundas
Eliana Scaramal disse…
Quantas delícias com a querida batata!! :)
Nani do Paulo disse…
Adorei as dicas das batatas, gourmandise é cultura!
Beijos
Gourmandise disse…
Fezoca, como viver sem as batatas?!

Laila, eu iria pirar lá! Dá-lhe batata e milho...

Marizé, a mãe do Marcel faz uma salada de batatas bolinhas cozidas com casca que fica muito boa!

Akemi, elas são tão versáteis! Até bebida se faz com elas!

Débora, depois de todos aqueles testes, ficamos uma semana sem poder ver batata...rsrs

Elvira, acho que todos consomem batata, ainda não conheço ninguém que as consuma.

Aline, este produtor de batatas patenteou as variedades que foram desenvolvidas pela Nascente. Batata tem DNA tbm!

Eliana, espero que a Puã tbm entre no mercado logo!

Nani, quis aproveitar os testes feitos com as batatas para postar junto com o tema da FAO.

bjocas a todos,
Nina.
espressa-mente! disse…
enviei para voces, a lenda historica sobre a introdução da batata na europa. é isso que voce escreveu, so contato de uma outra forma. inclusive uso este texto nas minhas aulas...é um bom exemplo de propaganda!
Pois é, Nina...

Lembra da agitação que foi meu "post" em que falava de batatas? E Eu nem sabia disto...

Enfim, ao povo as batatas! Que venham todas elas.
Gourmandise disse…
Carioca, bom saber que na verdade, as dus "lendas" sobre a batata e Parmentier são verdadeiras, uma consequência da outra! obrigada pelo texto.

Carlinhos, lembro sim! Batatas, como viver sem elas?! rsrs..irresistíveis!

bjos,
Nina.
Valentina disse…
Nina, vivo num pais em que se tem uma variedade imensa de batatas. Uma para cada proposito: as boas para assar, as boas para fazer amassadas, as boas para usar em saladas..vou fazer uns postos ao longo do ano.
Gourmandise disse…
Valentina, faça sim, acho bacana mostrar a alimentação/cultura de onde vc moramos.
bjo,
N.

Postagens mais visitadas