Maria Lima


Na Vila Leoldina, uma série de bares e restaurantes andam florescendo. Apesar de ser perto da minha casa, raramente freqüento o bairro.
Num desses dias, estávamos rodando de carro atrás de um local para comer e beber alguma coisinha. Em uma das esquinas da rua Carlos Weber, avistamos um barzinho que parecia interessante: Maria Lima.
Com um ambiente aconchegante, (parece uma casa onde as portas foram retiradas) meia luz, velas e mesas do lado de fora. O cardápio apresentava muitos pratos, de saladas à carnes. Confesso que achei caro (menu de comida) para um bairro que está despontando (ainda) na cena boêmio/gastronômica de São Paulo, por isso optamos comer um sanduíche (bom e bem apresentado) e um prato de frios com pães (azeitonas verdes e pretas, salame, provolone, conserva de berinjela bem preparada, mussarela de búfala e pães que pareciam caseiros).
Para acompanhar, um chardonnay Uxmal servido em temperatura correta (combinou apenas com a mussarela de búfala; não harmonizou bem com o sanduíche, mas com o calor que estava dispensamos um tinto). Mas... como de costume, o serviço de vinhos em bares/restaurantes de São Paulo (salvo raríssimas exceções) sempre falha em um detalhe: o garçon "sempre oferece para o homem degustar o vinho", e o correto seria oferecer para quem pediu o vinho. Parece bobagem, mas me sinto desconfortável com este comportamento.
Pretendo descobrir outros locais interessantes e agradáveis deste bairro.


Postado por Nina Moori.

Comentários

Esse eu ainda não fui mas sempre achei bonitinho. Realmente a maioria dos bares e restaurantes da Leopoldina são bem carinhos.
Gosto da pizza da Ritto.
Bjs
laila disse…
Nina nao creio! eu tbm morava perto da vila leopoldina...ehehe com certeza já nos cruzamos! bjos
Laurinha disse…
Faz tempo que não zanzo por outras ondas... aliás, não conheço nada na Vl Leopoldina, ótimo motivo para começar!
Beijinhos,
Débora, de vez em quando pedimos pizza na Ritto e na Torre di Pizza. Acho que o preço da comida/bebida por lá está cara poque existe uma explosão mobiliária (digamos que é um dos novos bairros da classe média).

Laila, com certeza já! O Daniel do Panela de Cobre mora bem perto da minha casa e acho que a Débora e o fernando do Brincando de chef tbm!

Laurinha, resolvemos começar a explorar a Vila Leopoldina por ser tão perto de casa. Para tentar sair do esquema Vila Madalena e Lapa.

bjos a todas,
Nina.
Sylvia disse…
Nossa Nina, morava ai perto,até tinha uma amiga que morava na Carlos Weber.Eu morava em uma travessa da Nazaré Paulista,ali perto do colégio Santa Clara. Nao sabia que essa parte estava despontando como centro gastronômico,é bom porque essa parte nao era lá muito bonita.Aqui também acontece,peço o vinho e sao raras as vezes que me servem para provar.
Sylvia, acredito que o consumo de vinho tende a aumentar cada vez mais no Brasil, com isso o serviço melhorará tbm!
bjinho,
Nina.
Anônimo disse…
Porque não pede a quem serve? Não se iniba e fale: eu pedi, eu quero provar, por favor. Assim vc não ficará mais incomodada.
Beijos!
Normalmente quando vamos a restaurantes (principalmente os caros ou novos) sou eu quem faz o pedido (uma simples chatice para observar que tipo de treinamento a brigada teve). Por uma questão de tradição, o garçon se refere ao homem da mesa primeiro, mas cabe ao dono do estabelecimento oferecer um bom treinamento aos funcionários.
Evito confrontar o garçon qto ao serviço (para evitar constrangimento - acredite, conheço os bastidores de um restaurante e sei o que se passa...), mas aproveito o espaço do Blog Gourmandise para citar essas ocorrências da vida enogastronômica.

bjos,
Nina.

Postagens mais visitadas